Fusão e aquisição (F&A) são termos, por vezes, tratados como sinônimos. Entretanto, existem diferenças significativas entre estas duas modalidades de integração. Aquisição é uma operação em que a companhia compradora adquire parte ou a totalidade das ações da empresa-alvo, a fim de assumir o controle da mesma. Já a fusão é uma operação em que duas ou mais empresas são combinadas e passam a representar uma mesma entidade legal. Neste caso, as ações destas companhias são substituídas pelas da nova entidade.

Existem diversas modalidades de F&A. A classificação que considera as atividades econômicas exercidas pelas empresas é a mais usual no mercado, na qual uma operação de F&A pode ser:

Horizontal: ocorre entre empresas que competem em um mesmo segmento de mercado. Geralmente, este tipo de F&A é realizado com o intuito de obter aumento de produtividade, economias de escala, aumento de market share etc;

Vertical: ocorre entre empresas pertencentes a nichos distintos de uma mesma cadeia produtiva. As organizações envolvidas geralmente possuem relação de fornecedor-cliente e vice-versa; Conglomerado: ocorre entre empresas de setores industriais distintos;

Congênere: ocorre entre empresas do mesmo setor, com linhas de negócios distintas, ou seja, não apresentam relação de fornecedor-cliente e nem são competidores, entretanto apresentam algum tipo de sinergia.